Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Passat TS 1980 no VRUM, do Boris Feldman







O Passat é parecido mas não é o meu. O Boris Feldman, editor do VRUM, apresenta o Passat TS. Neste filme ele está com um TS 1980 da mesma geração deste que vos fala, que é 1982 (também com os faróis retangulares).



Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

sábado, 12 de março de 2011

Regularidade - Choveu...


Grid de 26 carros antigos em sábado chuvoso na 1ª Etapa do Torneio Interlagos de Regularidade. E quando chove, a regra é clara: aos tempos de escolha como objetivo da prova, automaticamente são acrescentados 30 segundos, tornando assim a prova imprevisível uma vez que os frequentadores perdem as referências do tempo que costumam  fazer nas condições de pista seca. Faz-se necessário ao piloto criar novas referências para o novo target de tempo. Este target é mais lento, porém com as escorregadas na água fica mais divertido e mais difícil.

Minha estratégia era fazer duas voltas naquelas condições de pista para tentar criar novas referências. Só depois das duas voltas eu iria para o box escolher o tempo. Só que nestas voltas houve tráfego e acabei colocando um objetivo de tempo mais alto do que deveria. Resultado: na primeira volta a valer, sem tráfego, acabei andando 10 segundos mais rápido que deveria. Na regularidade, a falta de referência é um fator crítico. E eu não tinha referência anterior para a chuva. Até acertar o pé, perdi umas três voltas andando mais rápido do que deveria. O carro estava ótimo e com  boa aderência. Muitos ao final da prova reclamaram de falta de aderência na pista e várias rodadas aconteceram. Mas o TS estava me passando muita segurança. No final das voltas tinha que tirar o pé descaradamente pois a pista estava melhorando e você instintivamente começa a acelerar mais. 

Resultado: um bom sétimo lugar com 40 pontos perdidos nesta primeira etapa do Torneio, que rendeu importantes   12 pontos para a temporada 2011 na categoria clássicos.

A etapa foi vencida pelo companheiro Rodrigo Dapra Moraes, com Alfa 2300 TI. 

No topo do pódio, o Rodrigo Moraes...

...e seu Alfa 2300, vencedor da prova

Foi também a estréia dos adesivos da Lombardi Racing nos capacetes e nos carros meu, do Rogério Moreno e do Júlio.

Maverick do Rogério, em foto de D.Pierotti

O TS, também em foto de D.Pierotti

E também alguns belos carros estrearam nesta etapa, como o Karmann-Ghia do piloto da Itaipava GT, Carlos Burza:

E este belo fusca "split window":



Amanhã tem mais Regularidade, com outro carro, na categoria modernos. Espero que à seco.

Valeu, equipe!!

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

sábado, 5 de março de 2011

A Penitência da Semana - Tapeçaria

A volta do estofamento original

Para compensar antecipadamente o pecado cometido no post anterior, o TS passou as últimas duas semanas no tapeceiro para recuperar a originalidade, principalmente, do estofamento.

Quando adquiri este carro ele estava com uma capa de couro sintético nos bancos que escondia a real situação do estofamento. Disse o dono anterior que embaixo da capa talvez estivesse a forração original dos bancos. Não estava. Abaixo as fotos de como estava antes, com a capa de couro sintético que já estava em mau estado em vários pontos:

banco traseiro, antes

Bancos dianteiros, antes

As capas de couro foram aplicadas em substituição ao tecido original, que não estava mais lá.
O primeiro desafio foi descobrir qual era o padrão do tecido original de 1982. Com a ajuda do amigo passateiro André Grigorevski, da Home Page do Passat, recebi fotos com o padrão de 1982.
Na verdade as capas de couro sintético estavam copiando a costura e o desenho do original. A diferença básica era que o original era em tecido aveludado, mesmo material que compõe a forração das laterais das portas.

A forração aveludada das portas, antes

O tapeceiro encontrou o material aveludado do modelo original no Brás. E fez o trabalho com ele. No final o serviço ficou assim:
A forração dos bancos, depois

O encosto da cabeça, no mesmo material

A forração nova no banco traseiro

A nova forração no assento do banco

Mais dois serviços foram feitos pelo tapeceiro: o carpete da cobertura sobre o banco traseiro que estava destruído e também o porta-malas (do porta-malas ficarei devendo a foto).

A nova forração da tampa traseira, em carpete similar ao do assoalho

E foi assim que tentei pagar o pecado das rodas.

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

A Heresia do Dia


Contei em um post anterior o trabalho que deu encontrar as rodas originais do TS, com 5 polegadas. Quando foram compradas estavam em mau estado e foram para a recuperação em um restaurador de rodas.
Descobri recentemente que o cidadão fez serviço de porco. Na verdade só lixou as rodas e passou a tinta prata lunar por cima. Bonitinho, mas ordinário.
Os pontos de ferrugem que havia nas rodas não foram tratados de forma correta e duas das rodas simplesmente "furaram". Ou seja, estava escapando ar pelos pontos de ferrugem que só receberam tratamento de pintura. Como os pneus estavam sendo utilizados sem câmara de ar, fui obrigado a comprar duas câmaras de ar e de uns tempos para cá passei a andar com dois pneus sem câmara e dois pneus com câmara.

No próximo final de semana o carro irá para a pista de Interlagos, e resolvi corrigir hoje esta aberração em prol da segurança. 

Experimentando rodas

Retirei as quatro rodas originais e coloquei no lugar novas rodas de liga leve Scorro. Assim volto a andar com os quatro pneus sem câmara, o que sem dúvidas é bem mais seguro em um autódromo.


Como sou um adepto da originalidade radical nos carros que tenho, esta decisão de retirar as rodas foi difícil. Uma heresia em termos de originalidade. Tomei o cuidado, pelo menos, de manter o diâmetro original do carro e as novas rodas são aro 13, com 5,5" de tala. Assim também aproveitei os pneus novos que estavam no carro. 
Resta agora enviar as quatro rodas originais a alguém com habilidade para consertá-las. Se alguém tiver alguma recomendação, agradeço. 

Na conversa entre o diabo e o anjo na minha cabeça, o primeiro acabou vencendo e pequei, mas pelo menos o danado até que ficou bonito com as rodas novas... e, melhor, agora com risco menor de um estouro de câmara de ar.



Abraço, 
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Agora com as lanternas corretas


Mais um item foi substituído por outro com o padrão original. As lanternas traseiras.

Antes o carro estava com o par de lanternas do modelo 83 em diante (tricolor, com um friso cromado horizontal).


Agora está com as corretas, que equiparam os Passat até 82 (bicolores e lisas).



Aos poucos o carro vai ficando como veio ao mundo. Falta pouco.

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

Aerofoto

Interlagos, 12 de fevereiro de 2011

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Passat TS 82 - Finalmente vencemos a Inspeção Veicular


Custou e foi suado. No total foram 5 tentativas desde 2010. Mas conseguimos. O TS finalmente passou na inspeção veicular.

Nas primeiras 3 tentativas, em 2010, levei o carro com a regulagem correta do carro. Para quem não se lembra (ver o blog desde o início), o motor deste carro é original e está com peças novas (aproximadamente 1000 km desde a retífica e troca de peças). A regulagem correta deste carro não foi suficiente para passar no teste das emissões por este carro ser 82 (por causa da tabela mal feita da Controlar se ele fosse 79 ou 80 passaria tendo exatamente o mesmo motor). Não havia mais o que fazer, ou peças para trocar.

Chegou 2011 e, com ele, a data limite para as inspeções referentes a 2010 foi fixada para 31 de janeiro. Desta vez teria que passar a todo o custo. Com o funcionamento e regulagem corretos o carro não passava na inspeção. Mudei, então, a minha estratégia. 
Enviei o carro a uma oficina que possui o equipamento de aferição similar ao da Controlar. 
Lá eles fazem o serviço completo, ou seja: desregulam e testam o carro no equipamento até que ele fique ruim de guiar dentro dos padrões da tabela da Controlar, levam eles mesmos o carro para a inspeção e fazem também a pós-vistoria, que na verdade é retornar à regulagem ideal para o carro (e não para a Controlar).

E mesmo assim foram mais duas viagens. Na primeira, pingou (não foi vazamento) uma gota de óleo na frente do fiscal e nem fizeram a inspeção. O pessoal da oficina tinha feito a troca de óleo naquele dia e ficou excesso na tampa do cárter... Voltaram para o oficina apenas para limpar o motor e reagendaram para o dia seguinte.

Com isto foi perdido o prazo de 31 de janeiro - o que no fim acabou sendo bom - pois na segunda ida, aprovado, já veio com o selo de 2011.

Como funciona isto? Quem perdeu o prazo da inspeção de 2010 paga uma taxa-multa de R$ 46,40 por não ter tido o carro aprovado em 2010 e mais a taxa de inspeção normal de 2011 de R$ 61,98. Sendo aprovado, já sai com o selo de 2011 e sem restrição para o licenciamento de 2011. O negócio dos caras é arrecadar, sempre e mais.
A explicação sobre como pagar este monte de taxas e agendar a inspeção 2010/2011 está no site da Controlar.
Mas melhor assim do que ter que fazer a vistoria duas vezes seguidas.

Espero que esta tenha sido a última vez que este carro precisou passar por isto. Em 2012 ele fará 30 anos e logo em janeiro farei o requerimento da placa preta.

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

sábado, 20 de novembro de 2010

Última Etapa, de TS - 20/11/2010 - Torneio Interlagos de Regularidade

Foto por Dyonisio Pierotti


E sábado, 20/11/2010, na última prova de regularidade do ano no autódromo de Interlagos o TS teve excelente performance, sem nenhum problema durante os 45 minutos de prova. E ainda beliscou o segundo troféu em duas semanas seguidas. Desta vez em quinto lugar entre trinta e dois carros na categoria clássicos (fabricados até 1985).

Foi a terceira e última etapa do Torneio Interlagos de Regularidade no ano de 2010, com disputa de título em jogo.  

Com o segundo lugar na prova de hoje, o boss da nossa equipe - Luiz Salomão (Saloma do Blog) - foi o campeão de 2010 do Torneio, na categoria clássicos, com o seu Fusca 1964 com kit Okrasa. 


Na categoria modernos (fabricados após 1985), a equipe ficou com o segundo lugar na prova de hoje e o vice-campeonato do Torneio, com a Alfa de Rogério Cardinale.

E aqui a equipe (a turma vestida de "men in black") na foto. Agora, Interlagos só no ano que vem. Que venha logo!

Abraço, 
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

domingo, 14 de novembro de 2010

E deu TS no pódio - Festival de Regularidade - 14/11/2010


Neste final de semana aconteceu uma etapa extra-campeonato do Festival de Regularidade dentro da programação dos 500 km de São Paulo, no autódromo de Interlagos.

E deu pódio para o TS. Segunda colocação na categoria Antigos com 15 pontos perdidos em 40 minutos de prova.

Os quatro representantes da equipe Saloma do Blog presentes no evento obtiveram pódio.

Categoria Antigos: eu e o TS 1982, em segundo, e o Rodrigo Moraes, com Alfa 2300 1985, em terceiro.


Categoria Modernos: Rogério Cardinale com a Alfa 156, em quarto, e o Saloma com um Mégane RT-F1 em quinto.
  
Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Reprovado, de novo

Para esta segunda tentativa, me cerquei de cuidados: carro enviado para a oficina na quarta-feira para o fim específico de regular para passar.
Na 5a feira, o dono da oficina me informou que à tarde o carro seria encaminhado por um dos mecânicos até uma máquina similar à máquina do Controlar para avaliar se a regulagem feita seria suficiente. Perfeito, pensei eu.
A inspeção estava agendada para hoje, ao meio-dia. Às 11:00 fui buscar o carro na oficina para levá-lo ao posto de inspeção. Quando cheguei à oficina estranhei que o dono, ele próprio, estava debruçado no motor do carro mexendo justamente no carburador. 
Fui recebido pela exclamação: "- Porra, Marcelo, o Procópio não veio hoje!", ao que prontamente respondi: "- Porra, mas não estava pronto e testado ontem?"
Não, não estava... e sem o mecânico, o próprio estava mexendo no carro. Vi que seria mais uma viagem à toa ao posto de inspeção. Me entregou o carro comentando: "tá perfeito".
Fui mesmo assim, e borbulhando de raiva na certeza do tempo perdido. 
Marquei no posto de vistoria da Raposo Tavares. No caminho, andando em alta na estrada, já dava para perceber que o carro estava afogando.
A pouca boa regulagem que estava antes, foi destruída pelas mãos do dono da oficina.
Durante a inspeção, só via no gráfico do monitor da Controlar as barras vermelhas o tempo todo.
Reprovado mais uma vez, com índices ainda piores que na primeira tentativa e com o carro afogado.
  
Decidi trocar de oficina. O TS e o Puma não voltam mais lá.
Desta vez a maior parte da raiva não ficou para o Controlar.

Agendemos mais uma, então.

Em tempo: amanhã cedo escanearei os 2 relatórios das vistorias do Controlar para vocês verem o tamanho da merda que ficou a regulagem de sexta pela manhã.

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Mais uma tentativa


Amanhã lá vamos nós para a segunda tentativa na maldita inspeção ambiental com o Passat. Hoje o carro está regulado (de novo) e neste momento está passando, na oficina, pelo mesmo equipamento utilizado pela Controlar.
Não haverá motivos para não ser aprovado.
A ver.
Abraço, 
@MarceloSCamara 
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com



terça-feira, 24 de agosto de 2010

O dia que meu TS virou Bad Boy - REPROVADO


*****
São dois antigos, originais ao máximo, que habitam minha vida: o Puma, 1980, por já ter conquistado a placa preta está isento desta inspeção veicular caça-níquel de São Paulo. O Passat TS, 1982 - que apesar de original ao máximo - por ainda não ter os 30 anos não está isento. Este foi hoje para o posto de vistoria da CONTROLAR (um verdadeiro "negócio da China", máquina de fazer dinheiro).

Quem acompanha este blog já percebeu o cuidado que tenho com os meus antigos. Assim que comprei este TS a minha primeira providência foi levar direto à oficina para trocar TUDO (não é exagero) na parte mecânica. Do motor, só o bloco não foi trocado. Foi feita a retífica, pistões, válvulas, anéis, etc. Platinado, velas, tampa do distribuidor, cabos de velas, filtros, bombas, embreagem, freio, calços de câmbio, amortecedor, molas, pneus, escapamento e por aí vai... Tudo por peças originais ou similares às originais. O carro ficou com a parte mecânica zero quilômetro. Isto há pouco mais de 3 meses.
De lá para cá o carro andou muito bem nos finais de semana (alternando com o Puma), eventualmente nos dias de rodízio e fez uma etapa do Torneio de Regularidade em Interlagos. Tudo isto sem apresentar queima de óleo ou vazamento de qualquer espécie. 

Além do carro estar com tudo novo, ainda tomei o cuidado de levá-lo na semana passada à oficina para regular o carburador e o ponto para enfrentar a maldita inspeção. Levei também para verificação da emissão de gases. O carro saiu de lá com a certeza de que estava apto para ser aprovado pela vistoria da CONTROLAR. Ainda me foi recomendado rodar com ele nestes dias que antecederiam a inspeção e chegar ao local com o motor quente.

Ou seja, fiz tudo o que é recomendado e certamente está melhor que muito carro moderno que anda por aí... 

A única coisa que não fiz foi tentar burlar a inspeção utilizando "recursos" como colocar álcool no tanque ou regular para uma mistura extremamente pobre. Fui com o carro como deve ser, em perfeita ordem, com gasolina e regulado corretamente.


*****
Por coincidência cheguei ao local (Raposo Tavares) junto com outro antigo, um Opala 4100cc 1976, belíssimo e original e que também não fumava pelo escapamento. Ocupamos os boxes lado a lado. Todos os outros carros no local eram modernos e destes modelos iguais entre si, independente da marca, em cinza e preto.
Colocaram um cabo no motor e entubaram o escapamento do carro. Depois o inspetor ficou com o pé travado no acelerador por longos minutos e finalmente deixou o carro em marcha lenta por outros longos minutos. 
Sai uma tripa de papel da impressora e o Sistema determina: REPROVADO. 5,35 (COc %VOL) na marcha lenta quando deveria ter dado até 5 (COc %VOL).
Só para ilustrar, o belo Opala 4100 1976 também foi reprovado.


*****
Saí de lá determinado a descobrir porque um carro de fabricação nacional, mantido com a mecânica original, bem cuidado e com peças de mecânica novas e em ordem é reprovado. 
Ora bolas, eles não dizem que a tabela é justa e que leva em consideração a tecnologia e os níveis de emissão que eram aceitos à época de fabricação? 

Minha primeira providência foi procurar por esta tabela que é usada pelo famigerado CONTROLAR. Claro que não encontrei no site deles, onde era de se esperar que esta tabela estivesse de forma clara e transparente.

Fui encontrar a tabela nesta matéria no site Globo.com. Deve ser a atual, pois a matéria data de 03/08/2010:

Tabela de limites de C02 em porcentagem (%)
Ano de fabricaçãoGasolinaÁlcoolFlexGás Natural
Todos até 19796,06,0-6,0
1980-19885,05,0-5,0
19894,04,0-4,0
1990-19913,53,5-3,5
1992-19963,03,0-3,0
1997-20021,01,0-1,0
2003-20050,50,50,51,0
2006 em diante0,30,50,31,0


Sim, pela tabela as variáveis são apenas o ano de fabricação e o combustível. Dane-se de quando é a tecnologia do seu motor e se era aceito na época. 
O meu Passat TS 1982 (na tabela, máximo de 5 COc) saiu da Volkswagen exatamente com a mesma mecânica e tecnologia de um Passat TS 1979. Porém um TS 1979 (que é aprovado com 6 COc) se obtivesse o meu índice (5,35 COc) passaria na inspeção apenas por ser 1979. 
Entenderam? Nem eu. O motor e as peças da parte da mecânica SÃO OS MESMOS em 1979 e em 1982 no caso do Passat TS e os limites na tabela são diferentes (5 COc para o TS 1979 e 6 COc para o TS 1982). 
Este é, no mínimo, um critério errado.

*****
Para resolver esta distorção eu terei que agendar nova vistoria, procurar novamente a oficina, perder mais horas de trabalho e levar o carro para a CONTROLAR com o motor engasgando e fraco usando "recursos" para passar na vistoria como colocar álcool no tanque e deixar a mistura do carburador pobre. 
E juro, eu não queria fazer isto e tentei, hoje, fazer direito. 

Hoje o meu TS é um Bad Boy por ser de 1982 e mantido com a tecnologia original da época. Certamente eles acham que tirá-lo das ruas aos sábados e domingos resolverá esta poluição de ontem (23/08, UOL).

Se o espírito da lei é ambiental, me obrigar a deixar o carro apto por apenas algumas horas só para a vistoria não é exatamente o objetivo. 
Tentei fazer tudo certo uma vez, mas não deixaram. Então "recursos" é o que terão na próxima vistoria. 
Danem-se eles, e eu.

Abraço, 
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

domingo, 4 de julho de 2010

Enfim, testado - 2ª Etapa do Torneio Interlagos de Regularidade

Sem sinais de problemas na estréia

O TS foi levado a estrear em Interlagos no último sábado, 03/07, no Torneio Interlagos de Regularidade. Pela primeira vez o motor foi testado após a retífica e a substituição de praticamente todos os ítens de mecânica.
Ao final da prova foram quase 100 km percorridos em aproximadamente 1 hora e 15 minutos na pista andando com o #80 "herdado" do Puma, que está com o motor em recuperação depois da prova de 13 de junho. 
Confesso que estive apreensivo durante todo o percurso sempre buscando com os olhos o marcador de temperatura da água e os espelhos retrovisores, procurando sinais de fumaça. Primeiro, escaldado que estava das duas experiências anteriores deste ano com o Puma que acabou, na última, tendo os pistões avariados e também pela ansiedade em ver o motor do TS trabalhando em longo percurso e sendo exigido praticamente pela primeira vez.
Felizmente tudo deu certo com o carro.

Prova tranqüïla, 1 h e 15min sem sustos mecânicos

O tempo escolhido foi de 3 minutos por volta sem forçar muito o brinquedo. Pelos relatórios oficiais da prova a velocidade máxima que usei foi de 126 km/h em quase todas as passagens. Em 24 medições feitas durante a prova a volta mais rápida foi em 2:58 (5 vezes), houve medições em 2:59 (3 vezes), em 3:01 (4 vezes) em 3:02 (2 vezes) as mais lentas foram em 3:03 (4 vezes). O tempo foi cravado nos 3:00 escolhidos 6 vezes, o que custou 33 pontos perdidos e o décimo lugar na categoria clássicos.
Mas o mais importante nesta etapa foi ter adquirido ao final a confiança no motor do carro. Comportou-se muito bem, sempre com a temperatura da água na metade da escala no mostrador e sem fumaça aparente. Respondeu bem nas retas, nas retomadas e na subida e está com regulagem de carburador e ponto perfeitos. Freios, câmbio, suspensão e os pneus (Cinturato P4, 175/70 R13) também se portaram muito bem.

Ou seja, valeu à pena ter levado o TS e saí bastante satisfeito com o carro.

Na volta de apresentação: cadê os Passat desta terra?

Nesta prova fui o único Passat em um grid com 40 carros. Por onde andam os Passat?

Para encerrar, um pequeno vídeo Youtubado com uma volta à bordo do TS:




* as fotos são de Rodrigo Ruiz, do site VelocidadeOnLine, de quem usei os adesivos nas placas

Abraço, 
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com

terça-feira, 29 de junho de 2010

Estréia


Decidi que estrearei o TS em Interlagos na 2a Etapa do Torneio Interlagos de Regularidade que ocorrerá no próximo sábado, 3 de julho.
Será coisa "light", irei para voltas em torno de 3 minutos (média de 86,18 km/h por volta e máxima de 120 km/h nas retas) durante 45 minutos.
O motor precisa ser amaciado e testado após todo o trabalho que foi feito nele.  
Além disto o Puma, que tem participado destes eventos, precisou de uma cirurgia cardíaca e está temporariamente fora de combate.

Se algum outro Passat quiser fazer companhia, as informações para inscrições estão neste link.

Abraço,
@MarceloSCamara
e-mail: semeuTSfalasse@marcelocamara.com